Cidades

Motoristas na contramão elevam estatística assustadora e mortal na Euclides da Cunha



Motoristas na contramão elevam estatística assustadora e mortal na Euclides da Cunha

Sábado, 6 de agosto, 6h45 da manhã, Osvaldo Bianchini, 74 anos, e o amigo Mário Galoni, 69 anos, viajavam em um Vectra, placas de Jales, para um torneio de bocha na cidade de São José do Rio Preto. A viagem seguia tranquila, até um desfecho inesperado e trágico no Km 537, entre Meridiano e Valentim Gentil: um carro na contramão em alta velocidade e uma colisão frontal com resultado trágico: 3 mortes e uma pessoa ferida. 


Além dos dois ocupantes do Vectra, morreu também o motorista do Corolla, placas de Mato Grosso, Edsomar Venerando de Matos, 47 anos. Na companhia dele, passageira Sandra Barbosa, 35 anos, que, apesar de ter ficado presa nas ferragens, foi socorrida com vida e levada para a Santa Casa de Fernandópolis. Consta que o casal saiu da Chácara Malibu ingressou na rodovia pela contramão, transitou por cinco quilômetros até encontrar o Vectra que estava em sua mão de direção. 
Este acidente não foi o primeiro com motorista na contramão na rodovia Euclides da Cunha. Ele já faz parte de uma lista assustadora de ocorrências que vêm elevando uma estatística mortal da rodovia duplicada há 10 anos. As colisões frontais, comuns nos tempos da rodovia de pista simples, assombram quem transita pela pista entre Mirassol e a Ponte Rodoferroviária sobre o Rio Paraná, diante do risco de encontrar um motorista na contramão. Com a duplicação da rodovia, acreditava-se que o trauma das grandes tragédias na pista simples, resultado de colisões frontais, já era coisa do passado. 


Neste ano, segundo levantamento da Policia Rodoviária Estadual, foram dois acidentes com motoristas na contramão com saldo trágico: 4 mortos e 1 ferido. A quarta morte foi registrada em julho. Um motociclista na contramão em Tanabi colidiu com carro e foi a óbito. 


Levantamento realizado por CIDADÃO na internet, mostra um quadro assombroso. Isoladamente, são registros que vão caindo no esquecimento. Mas, juntos, revelam a dimensão do problema. As fotos e registros que acompanham essa reportagem são de acidentes registrados entre 2016 até agora, 2022. Mais de uma dezena de mortes e feridos. 


POR QUE?


Com uma sequência trágica de acidentes e mortes, uma pergunta ganha força: o que tem levado tantos motoristas a ingressarem na rodovia na contramão de direção? Em grande medida, o álcool é um dos fatores mais presentes nestes tipos de acidentes. A maioria dos acidentes ocorreu no período da noite e madrugada.
Esse fator, relevante, pode estar associado as alças de saída e entrada da rodovia que podem estar contribuindo para os motoristas tomarem o caminho errado, sem contar a sinalização nem sempre clara. 


Indagado sobre esse alarmante índice, o DER – Departamento de Estradas e Rodagem – emitiu uma nota genérica. Lembrou que “a rodovia Euclides da Cunha (SP 320) -- trecho Rubinéia/Mirassol - foi eleita a melhor rodovia do Brasil, em ranking divulgado em 2021 pela CNT - Confederação Nacional do Transporte – com grande importância para o PIB Nacional”. 


Sem entrar no mérito do problema levantado, o DER requentou a informação de que a “referida via está contemplada no programa Estrada Asfaltada e vai receber serviços de conservação especial e reabilitação da sinalização horizontal, em 184 kms de extensão e investimento previsto de mais de R$ 300 milhões”.
No final da nota, o órgão anotou: “a segurança nas rodovias é dever de todos, que devem respeitar a sinalização e as leis de trânsito, sobretudo os limites de velocidade e uso obrigatório do cinto de segurança (para todos que estão no veículo). Os motoristas não podem ingerir bebidas alcóolicas, pois trata-se de uma conduta gravíssima e grande causadora de acidentes”. E nada mais.

6 DE AGOSTO DE 2022 – Três pessoas morreram na colisão frontal entre dois veículos em Meridiano às 6h45 da manhã

8 DE SETEMBRO DE 2021 - Colisão frontal em Santana da Ponte Pensa resulta em uma morte e quatro feridos.

7 DE DEZEMBRO DE 2020 - Três pessoas morreram na colisão frontal entre caminhonete e carro em Votuporanga. Os veículos pegaram fogo

3 DE OUTUBRO DE 2019 – Caminhonete na contramão colidiu com carro e uma pessoa morreu em Fernandópolis

1º DE JANEIRO DE 2019 - Duas pessoas morreram em colisão frontal entre veículos em Fernandópolis no período da tarde

31 DE JANEIRO DE 2016 – Três jovens morrem na colisão frontal entre Valentim Gentil e Votuporanga